Clicky
Marca do Crea-AP para impressão
Disponível em <https://creaap.org.br/noticia_antiga_278/>.
Acesso em 24/06/2022 às 19h43.

LER e DORT : tecnologia ajuda na prevenção e tratamento

28 de setembro de 2006, às 2h02 - Tempo de leitura aproximado: 2 minutos

A Lesão por Esforço Repetitivo (LER), conhecida também como
Distúrbio Osteomusculare Relacionado ao Trabalho (DORT), é uma doença de
origem ocupacional causada por excesso de movimentos repetidos, alterações e
sintomas de diversos níveis de intensidade nas estruturas osteomusculares
(tendões, sinovias, articulações, nervos e músculos).

Para conscientizar a sobre a importância dessa doença, o tema
fez parte da palestra Saúde Laboral, realizada durante o Encontro Mundial
de Saúde e Tecnologia, realizado nos dias 21 e 23 de setembro, no Hotel Bay Park, em
Brasília. Como objetivo, trazer informações sobre como a tecnologia pode
ajudar no tratamento e ensinar a população os cuidados de prevenção.

O DORT – que atinge mais as mulheres – se reflete por
incapacidade e limitações no dia-a-dia, tendo como característica fortes
dores nos membros superiores e que se estendem por todo o corpo.
No Brasil, o afastamento do trabalho gerado pelas LER/DORT registra 532.434
casos desde 1998 – quando as pesquisas se iniciaram -. Sem contar os
trabalhadores que pleiteiam na Justiça o reconhecimento – pelos patrões –
de milhares de ações movidas no país. A CATs (Comunicação de Acidentes de
Trabalho), registra também outro dado importante. Na região Sudeste, a cada
100 trabalhadores um é portador das lesões, e no primeiro ano de
afastamento do funcionário, as empresas gastam cerca de R$ 89 mil.

A tecnologia pode ajudar na recuperação, automatizando certas tarefas que
envolvem movimentos repetitivos e uso da força. Auxilia também com
equipamentos modernos utilizados na prevenção, quando do desenvolvimento de
órteses. Concebidos de maneira ergonômica, possibilitam o uso por indivíduos
de biótipos diferentes, sem provocar lesões.

As empresas se preocupam muito mais com o absentismo (afastamento do
trabalho por motivo de doença) decorrente desses males, muitas deles
causadores de alterações modificações físicas, mas há indícios de que os
problemas osteomusculares sofrem a influência de fatores subjetivos no
ambiente de trabalho como é o caso da insatisfação no e com o trabalho,
pressão psicológica, medo, estresse, o que em muitos casos não é alterado
nas modificações. Isso acaba baixando o nível de eficácia das medidas
preventivas instituídas. Segundo as estatísticas, os profissionais mais atingidos por LER/DORT são
bancários, digitadores, operadores de linha de montagem, operadores de
telemarketing, secretárias, jornalistas, entre outros.

Com o objetivo de diminuir ou pelo menos estabilizar a
incidência de LER/DORT, especialistas no assunto entendem que é preciso dar
ênfase ao estudo da ergonomia que visa melhorar as relações biomecânicas com
o trabalho e nas atividades na vida diária, além de divulgar as orientações
de posturas corretas e a necessidade dos alongamentos para os trabalhadores. (Roni Martins -Gerência de Comunicação-Confea)