Clicky
Marca do Crea-AP para impressão
Disponível em <https://creaap.org.br/noticia_antiga_279/>.
Acesso em 27/06/2022 às 03h22.

FPI Rural inspeciona reservas hídricas na Chapada do Apodi

2 de outubro de 2006, às 4h38 - Tempo de leitura aproximado: 1 minuto

Durante toda esta semana estará acontecendo uma Fiscalização preventiva Integrada Rural (FPI-Rural) região da Chapada do Apodi. Serão vistoriados os reservatórios e principais poços nos municípios de Mossoró, Governador Dix-sept Rosado e Baraúna, para verificar se há a presença de agrotóxicos nas águas alimentadas pelo aqüífero Jandaíra.

A operação se estende até a sexta-feira (06). A FPI Rural começou nesta segunda-feira (02), coordenada pelo Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia do Rio Grande do Norte (CREA/RN), através da gerencia de fiscalização, numa parceria com a Emater, Idema, IGARN, IDIARN, Cefet/RN, Fundação Nacional de Saúde (Funasa), e Departamento nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs).

De acordo com o gerente de fiscalização do Crea/RN, Luiz Carlos Madruga, essa operação está se realizando desde o início do ano em todo o território potiguar, para verificar os níveis de contaminação por agrotóxicos nos reservatórios de superfícies (como barragens e açudes) e lençóis freáticos. “Principalmente aqueles que são responsáveis pelo abastecimento da população”, complementa. Esta é a segunda FPI Rural realizada na região de Mossoró neste ano.

O aqüífero Jandaíra é uma dos principais mananciais (senão o maior) de água submersa do Rio Grande do Norte. Uma extensa faixa que começa no Mato Grande e se estende até a Chapada do Apodi, cortando vários municípios até tocar o Ceará. A equipe do Crea/RN está baseada em Mossoró, saindo diariamente para a zona rural dos municípios, onde, juntamente com os representantes dos demais organismos, fazem a inspeção dos reservatórios.

Estão sendo coletadas amostras de água de poços, açudes, lagoas e rios semi-perenizados. O material colhido vai ser analisado no laboratório do Cefet/RN. Até o final do ano o trabalho deve estar concluído com a publicação de uma relatório com o levantamento da área monitorada em todo o Rio Grande do Norte.