Clicky
Marca do Crea-AP para impressão
Disponível em <https://creaap.org.br/noticia_antiga_555/>.
Acesso em 27/06/2022 às 01h52.

FPI encontra falhas no estádio de futebol de Parnamirim

22 de fevereiro de 2008, às 10h56 - Tempo de leitura aproximado: 2 minutos

Fiscalizar, prevenir e garantir a segurança da população. Essas são as metas da Fiscalização Preventiva Integrada (FPI), um programa criado e coordenado pelo Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia do RN (Crea-RN) que funciona em parceria com o Corpo de Bombeiros, Ministério Público, a Covisa e Delegacia Regional do Trabalho (DRT). Na manhã de ontem, representantes desses órgãos fizeram uma vistoria no Estádio Tenente Luiz Gonzaga de Parnamirim para avaliar a estrutura física, hidráulica, elétrica, sistema de prevenção e combate de incêndio e a parte sanitária. E o resultado não foi nada bom.

A laje da cobertura da bilheteria e o muro do estádio estão rachados, os banheiros estão sujos, as arquibancadas de alvenaria estão em péssimo estado de conservação, além disso, não há nenhum projeto de acessibilidade para portadores de deficiência.

“A acessibilidade do estádio é zero, não tem a menor condição de atender aos portadores de deficiência. Ele não tem rampas, lugares especiais, enfim não atende a nenhuma norma de acessibilidade”, reclamou a arquiteta do CAOP-Minorias, Bernadete Lula.

Para o engenheiro civil da Suvisa, Ivens Trindade, a situação sanitária do local também está precária, mas não é o suficiente para interditar. “Os banheiros estão sujos, algumas privadas não possuem descargas, mas no geral funciona. Acredito que, pela capacidade de público, no máximo três mil pessoas, não existe grandes problemas”, falou.

Segundo o representante do Corpo de Bombeiros, cabo Márcio Ferreira, explicou que não vai ser necessário a interdição do local. “Foram feitas observações quanto a colocação de extintores de incêndios, reforço do alambrado da arquibancada, a limpeza, entre outras recomendações. Mas, apesar desses problemas, os jogos previstos para acontecerem aqui não serão anulados. O que pode acontecer é a redução da capacidade do estádio”. O Estádio Tenente Luiz Gonzaga, tem capacidade para quatro mil pessoas e foi inaugurado em 1946. De lá para cá poucas reformas foram feitas para melhorar a estrutura do local.

De acordo com o gerente de fiscalização do Crea e coordenador da FPI, Luiz Carlos Madruga, o principal objetivo da FPI é salvaguardar a população de situações de risco. “Não estamos aqui para interditar ou não, as fiscalizações são educativas e preventivas, mas se não forem atendidas pode implicar na emissão de autos de infração, na interdição parcial, ou nos casos mais graves, até na solicitação de interdição total do espaço e equipamentos”, disse.

Para este ano, a prioridade da FPI será a vistoria em shopping e supermercados. A programação já está definida até o mês de abril.

Fonte: Tribuna do Norte