Clicky
Marca do Crea-AP para impressão
Disponível em <https://creaap.org.br/noticia_antiga_897/>.
Acesso em 30/09/2022 às 05h38.

PARA CONSTRUIR E REFORMAR, O SEGREDO ESTÁ NO PLANEJAMENTO, DIZEM CONSULTORES

25 de setembro de 2009, às 11h30 - Tempo de leitura aproximado: 2 minutos

Altos custos, poeira e barulho são alguns dos obstáculos que deixam qualquer um incomodado na hora de construir ou reformar o imóvel. No entanto, são poucos que se preocupam em planejar a obra para prevenir custos extras, além de problemas com a mão-de-obra.

Segundo o engenheiro civil Flavio Figueiredo, consultor na área, o quesito planejamento só é lembrado, na maioria das vezes, quando alguém sofre autuações fiscais, algum pedreiro ou terceiro se machuca, vizinhos reclamam ou a obra não sai de acordo com o desejado. “Todos esses problemas podem ser minimizados com o auxílio de um engenheiro e um advogado durante a obra. Aos que procuram o “mestre de obras de confiança”, o “pedreiro indicado pelo amigo” ou outra pessoa qualquer cuja oferta é inversamente proporcional ao custo cobrado, todo cuidado é pouco, pois no final das contas o barato pode sair caro”, explica.

O advogado Luiz Octávio Augusto Rezende, que presta consultoria jurídica sobre o assunto, lembra ainda que toda cidade tem seu “Código de Obras”, legislação municipal que determina as normas básicas para construir ou reformar e que deve ser cumprida à risca. Sem contar a vinculação de emprego criada automaticamente entre os trabalhadores da obra e o dono da casa. “Toda prestação de serviço por determinado período e sob orientação direta e salário gera empregabilidade, outro ponto que merece atenção especial”, acrescenta.

Se a intenção for construir ou reformar sem criar problemas, o primeiro passo é adicionar à lista de planejamento a busca por um advogado e um engenheiro, afinal, serão eles os responsáveis por transformar a intenção e a emoção em documentos de garantia, de maneira que o sonho não se transforme em pesadelo.

Confira algumas dicas de ambos e lembre-se: quanto mais estudos prévios forem feitos, menor será a probabilidade de reparo, revisão e ampliação dos custos.

– Faça um contrato que deixe claro a intenção de construção e contratação de profissionais. Coloque neste contrato o objeto desejado, o prazo determinado, forma de pagamento e o dever de obedecer a legislação pertinente;

– Exija o uso de equipamentos de segurança no trabalho por parte dos empregados;

– Faça uma verificação prévia da situação da vizinhança, faça laudo de vistoria, trabalhe com o menor ruído possível e use caçambas cadastradas;

– Faça um seguro da obra e um de responsabilidade civil perante vizinhos e transeuntes;

– Não adiante dinheiro além do necessário para o contratado iniciar seu trabalho. As liberações de recursos devem acompanhar a evolução do cronograma físico, sob pena de desanimar o contratado e diminuir o comprometimento;

– Evite serviços extras. Se a criatividade for necessária, exija orçamento prévio. Fuja do “depois a gente vê…”, o que não estiver contratado por escrito não deve ser pago.

Fontes: Daniel & Figueiredo Consultores Associados e Berti e Rezende Advogados.