Clicky
Marca do Crea-AP para impressão
Disponível em <https://creaap.org.br/noticia_antiga_913/>.
Acesso em 07/07/2022 às 14h19.

USO CORRETO DO SOLO E AGROENERGIA FOI DESTAQUE NO CONGRESSO BRASILEIRO DE AGRONOMIA

26 de outubro de 2009, às 10h52 - Tempo de leitura aproximado: 2 minutos

O terceiro e último dia do XXVI Congresso Brasileiro de Agronomia – CBA 2009, realizado em Gramado, na serra gaúcha, teve entre os destaques, a conferência sobre \”O uso da terra frente às atuais e futuras necessidades mundiais\”. O norte-americano John Murdock, responsável na década de 60 pela elaboração do Projeto de Recuperação da Fertilidade do Solo do Rio Grande do Sul – denominado Operação Tatu, abordou as práticas de recuperação de áreas degradadas.

Segundo o conferencista, a finalidade do projeto era incrementar a produtividade das lavouras. \”Usávamos adubação e práticas cultivares corretas para cada região\”, exemplificou. \”Chegamos a aumentar o rendimento do milho em sete vezes e o da soja em cinco vezes\”, afirmou. Conforme Murdock, naquela época os solos eram muito ácidos e com deficiência de nutrientes. O projeto foi um sucesso e acabou sendo expandido para outros estados.

A agroenergia voltou a ser enfatizada no CBA na quinta-feira (22). O assessor da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, Décio Luiz Gazzoni, afirmou que o mundo precisa investir em energias renováveis, pois as fósseis são finitas. \”Novas reservas de petróleo serão cada vez mais raras\”, frisou.

O gerente executivo da diretoria de Agronegócio Banco do Brasil, Luiz Antônio Correa, acredita que o Brasil está no caminho certo, pois, apesar do petróleo ainda dominar, 46,3% da energia gasta no país é renovável. \”Já somos a matriz mais limpa do mundo\”, destacou.

Já o diretor executivo da Associação Nacional de Defesa Vegetal – ANDEF, José Otávio Menten, falou sobre \”A importância de novos produtos fitossanitários na sustentabilidade na agricultura\”. Segundo ele, o Brasil faz o uso correto de defensivos agrícolas e tem uma posição de destaque no mercado mundial. \”Gastamos por hectare muito menos do que a França e o Japão, por exemplo\”. Para Menten, isto mostra a boa tecnologia nacional e aumenta a competitividade dos produtos agrícolas brasileiros para exportação.

Na quarta-feira (21) à noite, durante o CBA, a nova diretoria da Sociedade de Agronomia do Rio Grande do Sul (Sargs) tomou posse para o período 2009/2011. O engenheiro agrônomo Gustavo André Lange será o presidente, tendo o engenheiro agrônomo Arcângelo Mondardo como vice. \”Nosso objetivo é defender a atuação dos profissionais da agronomia juntamente com as entidades de classe de todo o estado\”, relatou.

Fonte: Luciana Brambilla – Relações Públicas & Imprensa do CBA 2009